A Luz Através da Janela – Lucinda Riley:
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 544
Classificação: 5/5

Resenha:
Depois de ter me surpreendido tanto com A Casa das Orquídeas (que é um favorito), as minhas expectativas por A Luz Através da Janela eram altíssimas. E, como eu já falei muitas vezes, não gosto de ler livros desse jeito, porque é muito fácil de eu me decepcionar. Por isso eu enrolo bastante até criar coragem e ler. Mas, felizmente, eu não me decepcionei com A Luz Através da Janela. Não ultrapassou A Casa das Orquídeas, mas é muito bom também.

A Luz Através da Janela traz a mesma estrutura de A Casa das Orquídeas: são duas histórias de uma mesma família, uma no presente, e outra na época da Segunda Guerra Mundial.

Emilie é a última descendente dos De La Martinière, agora que a mãe morreu. Completamente perdida e sem saber o que fazer, ela acredita que vender as propriedades da família é a única solução para pagar todas as dívidas que a mãe deixou. Com isso, ela pode voltar à sua vida normal. Mas, ao mesmo tempo, ela não quer vender o château, aquele que foi de sua família por tantos anos. E é nesse momento de angústia e de desespero que aparece Sebastian Carruthers, um homem que diz que sua avó, Constance, conhecera a família dela na época da Segunda Guerra Mundial. Ele se oferece para ajudá-la a organizar seus problemas e resolvê-los da melhor maneira possível, e eles acabam se apaixonando.

Já casados, Emilie e Sebastian vão viver na propriedade da família dele em Londres, enquanto o château está sendo reformado. E é lá que Emilie conhece o irmão de Sebastian, alguém que ela nem sabia existir. Alex é apresentado pelo irmão como alguém em que não se deve confiar, e por isso ela deve se manter longe ele. Mas é difícil se manter longe de alguém que mora na mesma casa, principalmente quando o marido vive viajando e a deixando sozinha. E, quanto mais ela conhece Alex, mais ela começa a perceber que ela sabe muito pouco da vida do marido.

Curiosa para saber mais sobre sua família e a relação entre ela e a família de Sebastian, Emilie vai atrás de Jacques, um antigo funcionário e amigo de seu pai, alguém que viveu naquele tempo. E é ele que nos apresenta Constance bem mais nova, como uma mulher corajosa que foi para a França com a missão de obter informações sobre a guerra e mandar para a Inglaterra, mas que acabou chegando à casa dos De La Martinière e tendo que ficar por lá. Lá, ela conhece Edouard, o pai de Emilie, que a abriga e a ajuda, e Sophia, a irmã cega de Edouard, com quem ela acaba criando uma grande amizade. E essa história traz muitas surpresas para Emilie, pois Jacques conta coisas que ela nunca imaginaria, coisas que podem mudar sua vida para sempre.

Eu acho incrível a capacidade da Lucinda de interligar duas histórias tão diferentes e tão parecidas ao mesmo tempo, sério, ela faz isso tão bem, não dá para escolher qual parte é melhor. Os personagens são todos muito bem construídos, cada detalhe é bem pensado e necessário, e o conhecimento da autora sobre a Segunda Guerra Mundial é imenso, ela faz o leitor sentir como se realmente estivesse lá. Eu só não gostei tanto desse livro quanto de A Casa das Orquídeas por conta do Sebastian, eu peguei antipatia dele desde o início e demorou séculos para a Emilie perceber alguma coisa. O livro não foi óbvio, não dá para descobrir as reais intenções de cada um antes da autora definir, você pode até descobrir a verdade, mas nunca terá certeza antes que ela fale que é isso mesmo.

Então, A Luz Através da Janela é um livro incrível, são mais de 500 páginas que passam voando, pode até ter uma parte ou outra um pouco cansativa, mas logo passa e volta à perfeição. Lucinda Riley se tornou uma das minhas autoras preferidas, qualquer coisa que ela lançar eu leio. Recomendo demais.


4 Comentários

  1. Oi Adri :)

    Amo livros que fluem bem e fazem com que o leitor se interesse mais pela estória, fiquei morrendo de vontade de ler esse livro agora hahaha, beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adri! Terminei ontem A Casa das Orquídeas e estou de boca aberta com a perfeição de escrita da Lucinda. Jamais imaginei que esse livro fosse tão bom. Também virou meu favorito. A autora tem uma capacidade incrível de ligar duas estórias aparentemente distintas e isso é fantástico. Sem contar nas diversas mensagens que o livro passa. Ontem mesmo fui atrás de mais livros da autora e li a sinopse de A Luz através da Janela, logo vi que é a mesma estrutura do primeiro mas isso me deixou contente porque já vi que a capacidade da autora de escrever uma boa história com esse tema e desse jeito é muita.
    Que bom que gostasse de A Luz através da Janela, com certeza vou atrás para comprar o meu exemplar e provavelmente também irei ler A Garota do Penhasco.

    Beijos, Greice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Greice! A Casa das Orquídeas é um dos livros mais perfeitos que eu já li, é lindo demais *--*
      A Luz Através da Janela também é ótimo, vale muito a pena ler. Também estou doida para ler A Garota do Penhasco, assim que eu conseguir ele vou correndo ler rs.

      beijos

      Excluir
  3. Olá Adri
    Ainda não li nada da autora, mas pelo que estou vendo pelas postagens vou tentar começar pela Casa das Orquídeas para depois ler este que resenhou.

    Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.