O Lado Mais Sombrio – A.G. Howard:
Série: Splintered #1
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 364
Classificação: 4/5

Resenha:
Sou apaixonada por adaptações de contos de fadas e, apesar de Alice não ser uma das minhas histórias favoritas, ainda gosto bastante da história e estava animada a respeito desse livro. Simplesmente adorei a ideia da autora de escrever sobre uma descendente de Alice. E sobre a maldição sobre a família dela. E sobre ela entender o que os insetos e as plantas falam. E sobre o País das Maravilhas. Enfim, o conjunto do que a autora fez.

Alyssa sofre alucinações onde os insetos e as plantas falam com ela desde que completou 13 anos. Ela sabe o seu destino: o sanatório, assim como sua mãe, sua avó, e todas as outras mulheres de sua família, desde Alice Liddell, que começou com toda essa história do País das Maravilhas. Mas ela está decidida a se manter sã, e o mais longe de um sanatório que puder. E é em sua arte que ela se esconde. Ela captura insetos, os mata, e os usa em seus quadros. Até por que, mortos, os insetos ficam quietos.

Mas ela não pode evitar completamente o sanatório. Sua mãe vive lá, desde que teve uma crise e tentou matá-la quando Alyssa ainda era uma criança. Alyssa não se lembra muito bem do acidente, mas não parece como se a mãe tivesse tido a intenção de machucá-la. Mas não há nada que ela possa fazer, além de visitar sua mãe toda semana, e torcer para que ela melhore. Alyssa sabe que as chances de sua mãe sair de lá são mínimas, mas ela não vai desistir.

Principalmente quando ela descobre que Alison e ela compartilham algumas alucinações. Como é possível duas pessoas alucinarem a mesma coisa? Será que há algo de verdade na fixação que a mãe tem em Alice no País das Maravilhas? Ser á que é possível que elas realmente entendam o que os insetos e as flores falam? E, se for, ela terá que considerar o que eles dizem, o que sua mãe diz. E ela terá que tomar uma decisão a respeito do que fazer com o que descobriu. Ela deve considerar essa história e ir atrás da verdade, ou deve ignorar e acreditar que Alison enlouqueceu de vez, e que ela está indo pelo mesmo caminho?

O que Alyssa deve fazer cabe somente a ela decidir, mas ela irá precisar de ajuda. Afinal, como ir dos Estados Unidos a Londres sem ninguém saber? Porque ela já tentou convencer o pai, e ele não tem a menor intenção de deixá-la ir para longe. E com que dinheiro? Com que passaporte? Ela vai precisar arranjar um caminho alternativo para chegar onde acredita ser o local da Toca do Coelho, onde Alice caiu tantos anos antes.

Para acompanhá-la nessa aventura (olha a frase da sessão da tarde rs), Alyssa contará com a companhia de Jeb, seu melhor amigo superprotetor e por quem ela é completamente apaixonada há anos, e a de Morfeu (a Lagarta de Alice), um intraterreno com quem ela cresceu, e que tinha se esquecido. O caminho para consertar toda a bagunça que Alice fez é longo, e Alyssa não sabe nem em quem confiar. Afinal, Jeb só quer fazer com que os dois voltem para casa, e Morfeu está sempre omitindo alguma coisa. E, além disso, os dois não conseguem se entender. Como ela irá quebrar a maldição de sua família desse jeito?

O País das Maravilhas é incrível, ao mesmo tempo em que é o País das Maravilhas criado por Lewis Caroll, é um País das Maravilhas completamente diferente, mais sombrio e perigoso. Os personagens estão todos lá, e, ao mesmo tempo em que são os mesmos, são diferentes. É incrível ver como a autora conseguiu criar tudo isso. Mas eu tenho que dizer que eu passei o livro todo comparando a história com O Rei do Ferro (não que seja uma coisa ruim, já que adoro O Rei do Ferro). Nunca tinha pensado no mundo dos seres élficos comparado com o País das Maravilhas, mas eles possuem bastantes coisas em comum (um é inspirado no outro ou algo do tipo?).

Alyssa é uma boa personagem. O fato dela não querer contrariar o Jeb hora nenhuma me irritou bastante, mas ao mesmo tempo ela é corajosa, sabe se virar sozinha, e luta para proteger aqueles com quem se importa a qualquer custo. Apesar de ter adorado o Jeb, me irritei com o fato dele estar sempre querendo proteger a Alyssa, tomar decisões por ela, não acreditando que ela possa ser capaz de se virar sozinha. E tem o fato de que, mesmo apaixonada por ele, passei o livro todo desconfiando dele não ser o que dizia. Sobre o Morfeu, adorei ele desde o início, mas como não queria um triângulo, ficava torcendo para não acontecer nada entre ele e a Alyssa. E acho que a autora fez um bom trabalho a respeito disso. Adorei o personagem, o fato de que se passa o livro inteiro tentando descobrir se ele é mocinho ou vilão. Outro personagem que tenho que mencionar é o pai dela que, apesar de praticamente não ter aparecido, me encantou. Gente, a mulher dele está no sanatório, completamente doida, e mesmo assim ele não desiste dela, não perde a esperança de que um dia ela irá ficar boa. E ele faz de tudo por ela. Lindo demais.

A única coisa que não gostei foi que o livro é uma série. Ando lendo tantas séries que normalmente fico só no primeiro livro, quando lança o segundo nem lembro mais da história e acabo desistindo da série. Mas o fato de ser uma série faz sentido, porque a autora ainda tem muita história para contar. E o que eu mais gostei foi que, mesmo assim, ela deu um final para esse livro. Se não quiser continuar, não precisa, o livro em si tem um final. Claro, tem um gancho para a continuação, mas é um final mesmo assim, e totalmente satisfatório.

A diagramação desse livro está impecável. A editora manteve a capa original, que é linda, e por dentro a diagramação é incrível, os inícios de capítulos são lindos, e todas as páginas são enfeitadas. As minhas únicas reclamações foram: a fonte usada nos títulos dos capítulos e os números das páginas. A fonte é linda, mas tive um pouco de dificuldade de ler. E os números das páginas ficaram junto dos enfeites das páginas, demorei séculos para achá-los. Mas não dá para negar que o conjunto final ficou lindo, a editora está de parabéns a respeito da edição do livro. Sobre erros, só o normal, alguns errinhos de digitação e tal, nada que atrapalhe a leitura. Livro recomendado a todos que gostam de uma releitura mais sombria de Alice.

Série:
1. O Lado Mais Sombrio
2. Atrás do Espelho
3. Ensnared.


3 Comentários

  1. Oi Adri, tudo bem ?
    Parabens, o seu blog é lindo demais. Estou louca pra ler esse livro. Tenho ele em espanhol, mas ainda não tive tempo de começar a ler, não me senti no clima, sei lá. Mas sua resenha me deu vontade de começar a ler logo. Amo Alice no Pais das Maravilhas. É meu conto favorito desde pequena e só vejo elogios para esse livro. E mais uma série né? Livro único já virou exceção..

    Beijos, Ivana

    http://omundinhoderebecca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ivana, obrigada! :)
      O livro é muito bom mesmo, vale a pena ler sim. Principalmente se você gosta tanto de Alice. Eu que nem sou tão fã adorei, imagina você então rs.
      Pois é, hoje em dia está difícil achar livro único, é só séries e mais séries. Mas o bom desse é que você não sente necessidade de ler o próximo, sabe? Não ficou faltando coisas, sabe? A autora fechou bem o livro.

      Beijos

      Excluir

Tecnologia do Blogger.